amigos,

como vegetariana, mas antes de tudo, como ser vivo, fiquei indignada com a publicidade da nova organização criada no país, a pró-carne. www.procarne.org.br

sei que muitos não compartilham da minha opção, mas peço a gentileza de observarem o seguinte, se isso for de seu interesse. e se for, peço um pouquinho de paciência, já que assunto na minha mão dá pano pra manga.

essa organização - que visa estimular o consumo da carne - foi criada e é mantida por produtores de carne: ou seja, nada mais propício num momento em que o consumo da carne está declinando.

eles estão com uma mega campanha publicitária em todos os possiveis meios de divulgação. mas não é esse o meu motivo de indignação e sim o fato do contrário não ter espaço para aparecer e criar o contraponto e o debate. os grandes donos de terra, criadores de gado, tem $ de sobra para esse tipo de investimento, enquanto as organizações vegetarianas precisam contar com apoios inúmeros, assim como muitas outras organizações: ecológicas, culturais, sociais. tudo o que é desprezado pela nossa sociedade e, consequentemente, pela mídia, briga pra sobreviver. somos um grande grupo de preconceituosos pelo mundo. quando buscamos opções diferenciadas do que é considerado normal é que conseguimos ter a exata noção disso. no meu caso, encontrar um restaurante onde eu possa ter muitas opções é raro. até uma simples saladinha tem presunto. e, além disso, todo mundo te acha um extraterrestre.

mas enfim, não estou aqui para lamentar as exclusões e a nossa incapacidade de conviver com as diferenças. a questão é: essa organização foi criada, está crescendo e o outro lado ninguém vê. que outro lado é esse?

a produção em massa de animais para abate tem consequências desastrosas em níveis diversos. são realizadas pesquisas em grandes universidades por todo o mundo sobre isso... e quem conhece os resultados? por que elas tb não estão no fantástico? bem, abaixo algumas consequências:

- a área necessária para um pasto precisa ser grande, muito grande, o que leva a um desmatamento intensivo. depois de um tempo o pasto fica inutilizável e é necessário desmatar uma nova área. além disso, o boi consome muitos grãos. por ex: 85% do milho produzido no brasil é destinado aos bois!!! estudos demonstram que um boi precisa de 3 a 4 hectares de terra, e produz apenas 210 quilos de carne entre 4 e 5 anos. esse mesmo tempo e essa mesma terra poderiam produzir 19 toneladas de arroz. ou seja, além da exploração do latifúndio, a fome mundial tb está relacionada a uma tradição enraizada sobre o mito da necessidade do consumo da carne e aos poderosos coronéis da carne.

- o sofrimento animal é inquestionável. eles vivem confinados, consumindo rações transgênicas e cheias de agrotóxicos para que se tornem "bons" para o abate em tempo menor. isso gera uma carne contaminada, não só pelos remédios mas pelo stress do animal que vive nessa situação, que libera substâncias tóxicas. além disso a carne animal fica em estado permanente de putrefação e é carregada de microorganismos maléficos ao ser humano. não temos capacidade de processá-los, como os animais carnívoros. voltando ao sofrimento, para fazer o fois gras, por ex, o ganso vive imobilizado por muitos dias recebendo quilos de comida através de um tubo inserido na sua boca, sem que possa mastigar. e por aí vai... com os bois, as galinhas, os animais de laboratório - embora já existam técnicas mais eficientes e baratas de testes - e até mesmo os peixes. aqueles que vivem em gaiolas são alimentados com rações com DDT, um pesticida proibido no país desde 1974 e, pasmem, usado até hoje. estudos observaram que peixes como esses chegaram a mudar de sexo, já q o DDT provoca anomalias, além de produzirem 14 substâncias cancerígenas, o que anula completamente o efeito benéfico do omega-3.

- no mais, isso só reflete a nossa mentalidade destrutiva e a nossa pretensa superioridade sobre a natureza. são esses os meus motivos para esse texto contra o pro-carne, são esses os meus motivos pela minha escolha vegetariana, e por muitas outras, como os alimentos orgânicos, a reciclagem, o diálogo nas relações... tudo q possa comprovar que é possivel vivermos de diferentes maneiras, e de forma diferente da normalidade estabelecida: com mais harmonia.

temos a "mania" de não questionar. estamos sempre indignados com as guerras, a fome, a violência, mas nunca paramos para pensar na gênese de tudo isso, no bizarro sistema que mantém toda a exploração no mundo. quem assistiu "O Jardineiro Fiel" ou "Syriana" - pequenos exemplos do que possa existir por aí - tvz tenha achado um absurdo. a indústria da carne é mais uma a integrar esse leque de organizações que fazem e desfazem o que querem no planeta.

é bom que isso fique claro, para que fique claro tb que não é o pescador da aldeia que leva o peixe à extinção, nem o índio que destrói a amazônia... e que nós somos seres culturais. não há naturalidade nas nossas ações. tudo tem sua origem. nada existe desde sempre, nem mesmo o universo...

quem quiser mais informações não só sobre a questão da produção da carne mas tb sobre questões ecológicas, listas de empresas que não cumprem legislações - por ex a dos transgênicos etc, abaixo algumas indicações:

- Alimentação Natural. Elizabeth Mota. Ed. Vozes
- www.svb.org.br - sociedade brasileira vegetariana
- www.greenpeace.org.br - dá pra acessar várias listas
- www.wwf.org.br - os estudos são o melhor da organização
- www.ambientebrasil.com.br
- www.institutoninarosa.org.br

bjs

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema