Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

eu, líquida

uma vontade de me fundir com a pedra para receber a água uma tal hipnose que me leva a querer ser uma só com a água sê-la lançar-me e me tornar amorfa mas a correnteza me impede... essa junção, esse som, esse não pedir passagem simplesmente porque ela tem que passar esse nomadismo todo me faz querer não ser cada vez mais apenas transitar carregando a maravilhosa indiferença da natureza o desprezo certo de quem não conhece nomes ou dualidades o humor necessário daquilo que mesmo na desgraça, ri

To david

The cameleon is coming Let´s scream!

Homenagem aos tatuís

Imagem
existe um mundo que é maior que a vida onde dançam partículas que nada mais são que a possibilidade e o acontecimento ainda que maior que a vida há vida nesse mundo como há água na terra há forças maiores que nossas vontades cotidianas porque elas dizem um desejo mais sutil uma percepção mais fina, um sentir mais aguçado porque repleto daquela sensação de ver um pôr do sol que você tem certeza que é o mais belo que já viu e ninguém pode te dizer que não aquela sensação de não saber o quê aquele prazer em não ser e não entender o barco segue a vida é sempre maior que o barco as andorinhas permanecem migrando os holofotes mantém as cidades acordadas apagam e acendem no movimento de sempre pois a luz não importa sem a escuridão as tartarugas vão nos dizendo da vida como as árvores e nada mais importa que não seja a alegria dessa toda amada Terra que reluz azul que gira bailando que abre os olhos a cada dia a noite para sempre ver por perspectivas

de martin de sá

Imagem
Sons que exalam vem dizer: Minha luz é uma aurora carregada de amor e desejo! Há um cheiro que sempre retorna. E cada vez mais, um cheiro que me faz salivar. E o meu coração palpita e lateja, só deseja, só cintila. Se destrói, mas se recompõe. Para a cada dia iniciar sempre uma nova aurora...

cais

Imagem
um dia vou me lançar ao mar como coisa arremessada e ai de quem tentar me segurar irei carregada por uma força não mais temerosa não incompreendida mais nesse dia brilhará um céu muito azul, manta que cobrirá uma revoada de pássaros migrantes e haverá festas por toda a cidade bebedeiras, fanfarras, fantasias música pra todo lado... não pode nunca faltar a música e quando todos estiverem em comunhão sairei de mansinho não querendo ser notada vestindo apenas uma roupa colorida e um chapéu de marinheiro levando uma mala cheia de saudades futuras, subirei ao cais e partirei apenas o céu saberá com seus olhos luminosos o que estará prestes a acontecer ele será meu guia, amigo e confidente céu dos papéis que levarei e das garrafas mensageiras partirei assim, como partiram naus catarinetas, navios vikings e piratas e toda a diversidade de criaturas que sentem o ar rarefeito da terra