alô, quem fala?

mon dieu, e a voz que não volta de vez... haja arruda e batucada no tambor! to preparando uma catarse para a já lendária estréia do efêmera ;). aguardem amigos, surpresas pela frente. a volta dos que não foram!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema