cais
















um dia vou me lançar ao mar como coisa arremessada
e ai de quem tentar me segurar
irei carregada por uma força não mais temerosa
não incompreendida mais

nesse dia brilhará um céu muito azul,
manta que cobrirá uma revoada de pássaros migrantes
e haverá festas por toda a cidade
bebedeiras, fanfarras, fantasias
música pra todo lado...
não pode nunca faltar a música

e quando todos estiverem em comunhão
sairei de mansinho não querendo ser notada
vestindo apenas uma roupa colorida
e um chapéu de marinheiro

levando uma mala cheia de saudades futuras,
subirei ao cais e partirei

apenas o céu saberá com seus olhos luminosos
o que estará prestes a acontecer
ele será meu guia, amigo e confidente
céu dos papéis que levarei e das garrafas mensageiras

partirei assim,
como partiram naus catarinetas,
navios vikings e piratas
e toda a diversidade de criaturas
que sentem o ar rarefeito da terra

Comentários

  1. Vanessa:

    Velada, valente e visual.
    Amante das artes, atual.
    Nova nuance, nítida navegante.
    Etérea, encanta a elas e a eles.
    Seu som sempre suave e simpático,
    Sonha ser o que sempre será.
    Assim, amiga, aqueces o Ártico.


    Votos sinceros de muito sucesso!
    Da amiga Rosangela Pereira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas