série forças - a rocha

estou
eu, a meditar sob a rocha
ela, parte de mim
tolerante e paciente
a resistência do mundo
o que persiste no tempo e conta todas as histórias
aquela que guarda portões sagrados
e os mistérios das idades da Terra
sua fala é de anciã
rocha-mãe que abriga e acolhe
e endurece o que deve ser endurecido
casa para toda diversidade de seres
que dela se alimentam para o seu sono
pois ela nunca dorme
e diz mais quando tudo se aquieta e escurece

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema