TESES DA SEMANA - DOM 26-03

Arbitrárias como qualquer tese em última instância!

1. A revolução feminina foi uma revolução material. Mas revoluções materiais não se efetivam como revolução sem revoluções subjetivas. Não o sei o quanto Marx nos ajuda... A revolução feminina permitiu à mulher espaços importantes, mas essa mesma mulher não parece ter se emancipado emocionalmente, e continua dependente e aguardando o príncipe encantado (seja ele como for e o que for)
2. Olhe sempre para o céu!
3. Não é preciso fazer terapia reichana quando se anda de transporte coletivo.
4. O valor do carro de uma pessoa é inversamente proporcional a sua capacidade de entendimento da realidade social.
5. O mundo ainda não conheceu o pior dos fascismos, aquele que tem todos os rostos. Mas falta pouco. E depois de pedirem fervorosamente o fascismo sem saber, as pessoas gritarão por socorro.
6. O povo vive uma vida tão chata, cheia de regras morais, que qualquer situação excepcional vira motivo de celebração interior, até situações de violência.
7. Quando se é afirmativo muitas pessoas te admiram. Muitas com sinceridade porque também o são. Outras porque não têm coragem de ser. Algumas te odeiam, mas isso é do mesmo nível da admiração. Umas tornam-se suas amigas de repente. Umas competem e morrem afogadas no seu egoísmo.
8. Estar num ônibus lotado é manter a conexão com a realidade miserável [subjetiva e material] e também com a maravilha que é viver.
9. A maioria das pessoas repete aos quatro ventos: “não tem jeito não, a gente tem que viver assim mesmo...”
10. É preciso saber ouvir o próprio corpo.
11. “A doença é um caminho pra saúde”.
12. O silêncio é uma resistência num mundo de fluxos.
13. Tomar sopa ouvindo a nona sinfonia é uma experiência espetacular.
14. Inhame é uma maravilha da natureza. Sopa de inhame é uma maravilha cultural.
15. Amor só é amor em ato e quando não precisa de justificativa ou esforço.
16. Se não é possível estabelecer uma parceria com quem se ama, o que potencialmente poderia ser amor dá lugar à obrigação e ao sentimento de propriedade
17. Quanto mais se consome arte, menos se cria arte [frase com duplo sentido...]
18. Já dizia Roberto Carlos: “é preciso saber viver”.
19. “O corno nasce com a propriedade privada”.
20. Redescobri a estafa, logo a necessidade do ócio.
21. Conceitos filosóficos é uma das categorias mais interessantes da adedanha. E essa é uma ótima brincadeira pra quando se está num engarrafamento.
22. O trabalho cansa o homem e a mulher. O que dignifica é a alegria.
23. A burocracia e o ressentimento têm uma força sobre o desejo que só pode ser combatida com a gentileza.
24. A composição musical deve também ser conceitual.

Comentários

  1. lendo essas delicosas arbitrariedades, penso que temos muito a dizer e fazer né? haja reflexão e ação!!

    ResponderExcluir
  2. se temos!!! aliás, é o que tem faltado às pessoas: reflexão e ação. as pessoas tem estado apáticas...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas