raro

raro,
não se decomponha em dor
escape pela criação
sua força reside no suor e na palavra
em um amor imenso que talvez nem consiga ver
amor-território
lembre-se do território
fuja, mas retorne
diferente
grande, esbelto, esguio, prazeroso
porque só há prazer em você
saliva, corpo inteiro, sentidos,
há mais do que te fizeram crer
há o que você já sabe
vá, corra
dance
respire
alongue
o mundo é seu
todo seu
e o amor é fácil nisso que esboça
naquilo que permite
até mesmo no que ainda não sabe
está no corpo
é um calor sentido
é um desejo inevitável
é vida,  vida que pulsa nas veias
no nervo, nos cabelos, nas pernas que encontro
no peito carregado de pulsações
vida que cresce e quer tomar forma
vida que grita e quer nada além do que ela mesma
em você

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema