Rede

cheiro de mar
me arrasta
sou rede
pesco o infinito
o desejo me deságua
sou peixe
que não se deixa pescar

Postagens mais visitadas deste blog

Olhos de poeta

Nós, os egoístas