da música que ouço agora

esse comunicar das músicas
estranha telepatia
eu aqui, você aí
e de resto
o mundo todo vivendo
e girando sem fim
um dia vai explodir?
dor pra todo lado
corações despedaçados
neblina
o que você quer de mim?
ou melhor seria o que eu quero de você?

mas as cores ainda existem
e são muitas
as árvores continuam crescendo
(quando não são cortadas)
os coelhos procriam
os botos trepam por prazer
e as libélulas não cessam de voar

no ártico dizem que o efeito estufa
derrete os icebergs
mas ainda há gelo de sobra...
e lá do outro lado do mundo
algum mestre espera o seu discípulo

o tempo não pára
a vida corre feito um trem disparatado
é poesia pra todo lado
no mar então, nem se fala
aqueles barcos todos, se pudessem falar...
e vinho pra celebrar

é preciso celebrar
até mesmo a dor
é preciso celebrar
a espera
a derrota
o não saber
tudo é luz nesse mundo incerto
e certo é que a vida é feita de encontros
que feliz é esbarrar com o que não tem jeito
os encontros que foram, estão
os que virão
todos eles
potência desmedida
loucura querida que me afeta o peito
e o que vale mais que isso?

a vida
essa amiga um tanto calada
que às vezes não diz nada
e nem sempre aparece pro café
gosta mesmo é de pregar peças

melhor
é deixar a porta aberta

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema