o primeiro poema


porque eu te amei
(amei?)
e te disse
que te escrevi teu último poema
não quer dizer que eu não os escreva mais

mas esses não entrarão nos compêndios

serão meus
da minha liberdade
de te falar nas entrelinhas
escancaradas, é certo
mas não estão direcionadas
pode abrir sua caixa de emails
não haverá nada

esses poemas de agora
podem ser de quem quiser pegá-los
estão por aí
para serem compartilhados

se quiser fazê-los seus
pode pegar também
é de graça
posso até levar
na porta da sua casa
(eu inseriria um emoticon piscando
...se fosse possível lê-lo)

porque eu te amei
e chorei tanto aquele dia cinza
eu hoje acordei rindo sem palavras

mal saberia eu que voltariam, elas
pode se orgulhar
estou criando obra de arte
com você

mas eu chorei por um motivo nobre
todo mundo há de concordar
faltava seu corpo

que ficou no mês passado
inteiro
que ficou num abraço sábado
meio

mas faltava
ora
às vezes falta mesmo

mas então eu acordei
e havia sol
então eu saí e vi o mar
então eu peguei minha bicicleta
e fui pro vento
daí eu soube
mais uma vez
(porque, parece, a gente esquece)
que depois do choro
sempre vem o riso
e que você, na condição de paixão,
está saindo na vantagem comigo

chorei tão pouco
ri tão mais
sou tão mais feliz
que a matemática
está fechando positiva

que ainda posso confirmar
tudo o que te disse
no teu último poema
e, acrescentar,
um cheiro de perfume de alfazema

pra tomar o ar
com aquela liberdade toda
de te amar sem pressa

minhas palavras não se esgotam
nunca, são rio correndo pro mar,
e vem sempre esse frenesi de ser texto pra ti

37 páginas, sabe o que é isso!?
agora serão mais de 40!
que fez você criatura?
algum trabalho pra santo?
às vezes acho que fez o mal
de escolher as palavras certas...
foi dizer o que não devia
levou o que...
bem, o que eu poderia dizer aqui?

você vai levar isso contigo
se um dia eu for famosa
vai até poder dizer:
olha, aquele foi pra mim
(até parece que você é desses)
até porque nem vai precisar
um dos poemas tem seu nome

longa carta de amor...
li Pessoa e ele disse que todas são ridículas
ah, se ele tivesse lido as minhas
mudaria de opinião na certa
(ridículo não! são palavras lindas)

e essas palavras gostam de brincar
soltas nas linhas
de brincar com você
elas estão aqui pra te provocar
(guarde essa frase)

pra te convidar pra festa
sei lá como
sei lá mesmo
eu poderia passar uma madrugada inteira
com você, bebendo
sem voar em cima do teu corpo
pode apostar
até porque
cairíamos alcoolizados no tapete

mas agora, é isso
minhas palavras querem ser
brincadeira
é o que você pede

a hora é de festejo
que assim seja
e como quiser que seja
em planos
projetos
ou cervejas

se no corpo
que seja também
o meu está sempre presente
nem precisa dizer

não sou de tocar a campainha
e sair correndo

e você deve estar pensando:
essa mulher é louca!
diz coisas lindas, mas ela é louca

não, você não deve estar pensando isso...
porque se a gente fosse pôr a loucura em cima da mesa
meu caro...
podemos passar uma madrugada na disputa
aquela mesma da bebedeira
tá disposto?
a gente tem muito pra conversar ainda
lembra?
pode me chamar
eu não vou te pedir em casamento

eu contaria segredos
se você quisesse ouvi-los
e adoraria saber os seus
se tivesse a coragem de contá-los
tem terapia maior que isso?

mas eu sei
as coisas tem a hora certa
eu entendi
que quando a gente não sabe o nosso lugar
melhor é ficar onde se está

mas eu também entendo
que mesmo onde estamos
existe movimento

porque eu te amei
e te entreguei páginas apaixonadas
só quer dizer que te amo

e você deve estar pensando
que sou alucinada

sabe, acho que você está certo...
se pensar assim

e nesse seu mergulho
de se ver também pelos meus olhos
me diz o que você vê...
será que um dia eu poderei saber?
será que eu poderia te cobrar royalties
por alguma descoberta?
ou estou me achando a rainha da cocada?
até mesmo quando o maior tempo nosso
é o tempo do nada...

vontade de gargalhar
você me dá uma alegria diferente
que desafia
fica quieto
e eu fico querendo te provocar
(de novo)
tentada a dedicar meu livro
pra esses teus olhos flutuantes
pra esse jeito meio lá, meio cá
meio de quem passa
rápido, querendo ir pra algum lugar
que já está em outro mar

mas isso é outro capítulo
dessa louca história

fico pensando
se você não acha
que eu gritaria ao mundo que te quero

vontade tenho
imagina se não!
mulher apaixonada pode até ser livre
mas é mulher apaixonada baby
tudo igual

mas não
eu sei falar nas entrelinhas

e agora me sinto alegre
e posso dizer
que você é que é o rei da cocada

todo bonito assim
fica tirando onda
você pode
sabe que pode
você é só amor

então te peço,
sai de perto não...
se quiser pode ficar aí parado mesmo
só pra eu te olhar
mas fica perto
"fica bem aí
que essa luz comprida
ficou tão bonita
em você daqui"

bonito isso
você quer ficar perto?
responde pra mim...
ah, me lembrei
você já disse que sim

e eu, depois dessas tantas palavras
perdi toda a credibilidade
mas eu já devia saber
me conhecendo como me conheço
que te dizer que te escrevia um último poema
era uma blasfêmia
(não uma mentira, longe de mim)
muito menos lá em cima dizer
que esse é de quem quiser

pode até ser
mas você sabe que é pra você
em cada linha

tem palavras suas
tem seu cheiro rondando por aqui
dentro de um livro
e, claro, também dentro da noite veloz
dessas noites sem dormir

mas sabe, ele está ficando mais doce
o cheiro
e eu estou te querendo agora
brincalhona
engraçada
como dizem por aí que sou

engraçada...
já me disseram isso tantas vezes
que começo a acreditar
talvez porque as pessoas, no geral,
sejam chatas demais

diferentes de você

e eu nem sei porque acho isso
não sei de nada
faz um tempo eu não estou sabendo nada
só estou deixando ser

eu gosto de me divertir
nem sempre sou assim
tá, ok, entendi
mas eu gosto
de sair
pra cair
no samba, no rock
no botequim

me chama pra sair
a gente pode se divertir
aposta?
mais uma...

foi por isso que eu te achei
e caí em cima de você
de repente
num dia em que eu estava voando
o celular tocando, no ônibus
depois de termos decidido um chopp simples
ai, esses que tomamos por aí
pela vida
às vezes, de tão inocentes,
nos levam pro inesperado
eu atendi o celular
e foi uma intimação:
- tá onde?
- no aterro
- desce na marina
- hein!?
você, sempre de poucas palavras
e lá fui eu!

nem vi a hora
não vi nada

e agora aqui estou
sem nenhuma credibilidade
tentando entender os seus começos

ouvindo músicas
que me dizem que o mundo
é tão do tamanho do meu amor
que eu, que te amo tanto sem saber por quê
(é só charme, eu sei sim)
estou amando, na verdade,
esse delírio que é viver

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema