o som e o silêncio


é no momento do silêncio,
entre uma nota e outra,
que meu corpo retoma,
na voz, o seu desejo

e deixa nele ecoar
o corpo do outro ...

...e o ensejo

é no momento do silêncio,
quando respiro e sustento,
que meu coração se revela,
e entregue, forasteiro,

ressoa nele
todo o seu intento...

...e vibra inteiro

é no momento do silêncio,
quando as passagens se dão,
que me conecto mais fundo...

ainda que por um segundo,

e este precioso instante
produz meu diamante:

tudo o que carrego
de mais intenso em mim
se lança no universo pela voz
para semear estrelas
e colher amplas ressonâncias
no mundo sem fim
das coisas sonoras

produzindo as reticências
que o meu canto
põe ao fim de cada tempo

para ampliar o espaço
de todo e qualquer lamento

para ampliar o dia
a toda e qualquer alegria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

poesia de domingo

Um cisne em voo solo - carta para Stefania

Phoenix, um poema