máquina

uma poetisa que assim se nega
embora seja tão dona das palavras
então me disse:
encare o coração como uma máquina
se ele não está funcionando direito
é porque está sobrando ou faltando alguma peça
lembre-se do nosso engenheiro sensacionista

e é a ele que dedico a minha prece:
ó grande senhor da poesia
amado mestre
que ama os navios e as engrenagens
porque eles funcionam
conceda-me, mestre, a dádiva de também amar assim
apenas aquilo que funciona como tem que funcionar
porque hoje, que se dane a poesia, o abraço
e a chuva que cai lá fora pedindo aquele corpo do meu lado
eu morreria mesmo é triturada por um motor
e não por sua rima

Comentários

Postagens mais visitadas