Planeta Mar

Quando me apresentaram a ti
Eu era uma criança
E tu já eras uma entidade:
Aquela que deveria nomear o planeta,
Planeta Mar.
Desde então,
Eu que nasci nas montanhas,
Te ouço chamar meu nome.
E tuas infinitas cores,
Conchas, ondas, corais,
E a vida marítima toda que se agita
Sobre ti e dentro, em tua musculatura azul,
São poesia que me levam a acreditar.
Basta que eu venha contigo falar
E luzes acendem, no centro de mim,
Aquele estranho sentimento desertoso:
Amar! Palavra que te contém,
Temor e céu,
Oceano meu.

Bahia
janeiro/2019